Cordell Barker e as animações.

Posted on julho 23, 2010

4


Domingo (dia de encerramento do anima mundi), terá um debate às 15h, na Praça Animada (RJ), envolvendo Cordell Barker, um dos novos nomes influentes no cinema e na animação canadense.  Ele defenderá a pluralidade do cinema e ainda questiona a necessidade e hegemonia do 3D, febre atual.

Por isso, vou postar um pedaço do que li no globo aqui. Acho essencial esse questionamento, afinal, não é só a animação em 3D que deve ser valorizada, muitas vezes esse tipo ainda perde muito mais do que a normal.

Cordell Barker foi indicado duas vezes ao oscar: em 1989 por “The cat came back” e em 2002 por “Strange invaders”. Ele reconhece a importância das reflexões estéticas do National Film Board (NFB) do Canadá, em sua formação. Foram representantes do NFB que, visitando o Brasil nos anos 80, formaram os cineastas que criaram o Anima Mundi e divulgaram a animação autoral. Diz que graças ao NFB, os animadores canadenses têm suporte para desenvolver suas idéias e aprenderam a duvidar de conceitos hegemônicos da animação, como a atual febre 3D.

Em suas palavras: “Eu não tenho muita certeza sobre a essencialidade do 3D. É inquestionável que essa técnica faz o espectador mergulhar nas imagens. Mas ainda acredito que boas histórias requerem distanciamento para serem desfrutadas. Acho que existe um progresso narrativo quando um filme em 3D desenvolve melhor questões de dramaturgia, caso de “Up” e “Avatar”.”

É, acho que ele já falou tudo por mim. auehaeuhea Agora com vocês, a animação “The cat came back” de Barker. ;)

Anúncios