À Pátria. – Por Vanessa Leal N. Vieira

Posted on junho 11, 2010

5


Parada nessa hipocrisia, do seu estado de antipatia,

não vejo motivo para me animar por você,

não vejo sentido algum em torcer.

Ó patria que não liga para os que morrem todos os dias,

ó patria que não chora por suas crianças fora da escola,

ó pátria mal cuidada que se mete com quem não presta

e que nem ao menos liga para sua exuberante e natural riqueza.

Lugar de atitudes errôneas. Lugar de pessoas errantes.

O que sinto por você é quase nada,

a esperança que tenho é quase nula.

Sentimento travado, encalhado e torturante,

que me corta, me arranha e me destrói por dentro.

Não aguento mais realidades em choque.

Carros blindados e prédios imensos, sem ninguém que se toque.

Queria mesmo ver o sol da liberdade brilhar,

queria o penhor da igualdade presenciar.

Mas tudo que vejo são crianças e famílias, pobres, a chorar, a implorar;

pessoas sem caráter com as quais temos que conviver

e nas quais somos obrigados a votar.

Não morreria por você, não lutaria por você, sequer te defendo.

Não te amo, não te idolatro, apenas tento, sem sucesso, te ignorar.

Nessa realidade abusiva que vivo, em que não consigo me calar,

sou chata, ranzinza e rabugenta. Mas o pior mesmo, é que consigo sonhar.

Sonhar com o dia em que você vai mudar, e que, aí sim, o futuro vai chegar.

——————————————————————————————–

Texto meu, feito por mim, num momento de irritação. Originalíssimo. NÃO copeyem, por favor táh? Sejam honestos. Sejam amigos.

basta de ladrão no mundo. Brigadinha. :)

Anúncios